O príncipe Karim Aga Khan é o líder institucional e espiritual de milhões de muçulmanos ismaelitas que vivem em cerca de 25 países.

Para os seus seguidores, Karim Aga Khan, que acedeu ao trono do Imamat Ismaili em 11 de Julho de 1957, é um descendente direto do Profeta Maomé através do seu primo e genro Ali, o primeiro Imam, e da sua mulher Fátima, a filha do Profeta.

De acordo com a tradição Shia do Islão, o mandato do Imam engloba tanto as questões espirituais como as materiais.

Criadores de cavalos de corrida há algumas gerações, vamos visitar hoje as Grandes Cavalariças, que foram resgatadas por Karim Aga Khan em 2006, com o intuito de fazer uma doação à Fundação para a Salvaguarda do Domínio de Chantilly, e onde muitos de seus cavalos treinam, no Chateau de Chantilly, considerada das mais luxuosas do mundo!

Aga Khan III conduz os vitoriosos no Derby de 1930 em Epsom Downs.
Aga Khan IV na capa da revista Life, estudando em Harvard
Khan III e sua nora, Rita Hayworth (mulher de seu filho Aly). Atrás sua mulher, a Begum Om Habibeh Aga Khan; seu neto Amyn; os filhos, Sadruddin; Aly; e o neto Karim,o atual Aga Khan.
Karim Aga Khan sucede seu avô como imam da Comunidade Muçulmana Ismaelita, em 1957.
O Castelo de Chantilly
A entrada
O interior do Musée Condé, construído em 1897 e que abriga obras de grandes artistas. O museu, na parte térrea do palácio, é aberto ao público.
Chegando aos grandes estábulos
Os estábulos grandiosos do Chateau de Chantilly
O escritório da curadoria do castelo que guarda importantes obras de arte e manuscritos
A biblioteca
Que lugar incrível! Reparem nos detalhes…
A Capela do castelo
14 de março de 1961: O Príncipe Aga Khan e o Presidente John Kennedy
A Rainha Elizabeth II recebe para um jantar em Buckingham Palace comemorando o jubileu de ouro do Principe Karim Aga Khan IV, Julho de 2008.
Príncipe Karim Aga Khan na Sardenha, Costa Esmeralda
Dança de Príncipes: Grace Kelly e Karim Aga Khan
Com a então mulher, Begum Inaara Aga Khan, em 2001.

Os espetaculares cavalos de corrida!

Publicado em 25/02/13
em: Social

Residindo há algum tempo em Ribeirão Preto, o médico Antenor Zuliani Neto e sua Tatiane, festejaram lá, em plena segunda-feira de Carnaval, os 4 anos da princesa Nicole. Uma big festa no salão enfeitado com o tema do dia, tudo lindo feito artesanalmente por Tati, que cripou as mais lindas  e ricas alegorias, espalhadas pelo salão. Que agora (por essas e outras… ) está pensando seriamente em profissionalizar-se no ramo de decoração de festas infantis. Vejam como ela não só pode, como deve levar a sério esse dom.

Nicole – linda com fantasia de Colombina – Tati (que encarnou uma perfeita melindrosa e Neto, na maior alegria

 

 

Tati com seus avó, a mammy Giselinha e a sogra Rose Zuliani

 

A maravilhosa mesa do niver de Nicole

 

Detalhe da mesa – vejam o capricho e bom gosto!

A mesa com as toalhas de paetês

Vejam a riqueza e as cores carnavalescas do bolo! Digno da Sapucaí…

Noutro canto o aparador de sucos…

Detalhe da decoração do teto

Detalhe da decoração das mesas dos convidados

O baú de presentes da Nicole não poderia ser menos criativo!….

 

Publicado em 24/02/13
em: Moda

Vejam aqui alguns dos melhores looks do desfile da Burberry, transmitido em tempo real para o mundo todo,ontem, diretamente da Semana de Moda de Londres…

Como já acontece há algumas temporadas, pouco se viu do xadrez icônico da Burberry. O tom da vez foi dado por animal prints e coraçõezinhos. Sábia sacada do estilista Christopher Bailey, que com seu trabalho vem rejuvenescendo o estilo da marca, dando roupagem pop aos tradicionais trench-coats. Bailey também apostou em listras e aplicações de ilhoses. Os couros cintilantes e coloridos, vistos na última coleção de verão, deram lugar a uma espécie de plástico leitoso, semi-transparente, em tons mais sóbrios, como preto, caramelo, marrom e vinho. Confira

BURBERRY1

BURBERRY2

Fotos via Style.com

Publicado em 19/02/13
em: Social
Laura Pimenta (assessora de imprensa – ABCZ/FAZU) e o empresário Bruno Assunção casam-se no próximo dia 23 na Paróquia de São Mateus
(Foto Luciana Marra)
Publicado em 19/02/13
em: Social

Queridíssima por todos, Edna Idaló aniversariou no último dia 15, ganhou flores e orações dos amigos e, amanhã, recebe os abraços durante requintado Café Colonial.

Publicado em 19/02/13
em: Moda

Para entender a moda é necessário conhecer seus nomes importantes do século passado como a chiquérrima estilista italiana Elsa Schiaparelli, avó da famosa atriz de cinema Marisa Berenson.

Seus vestidos estarão expostos, juntos com os de Miuccia Prada, à partir do dia 10 de maio de 2013 no Metropolitan Museum Of Art, o famoso MET, em New York. O nome da exposição é : “Impossible Conversation”. São duas italianas de grande sucesso e de épocas diferentes. Estou louca para ir!

 

Elsa e Miuccia

 

 

Elsa Schiaparelli

Saiba Mais:

Sua primeira coleção foi em 1929 e logo foi considerada a criadora do momento e se tornou a grande rival de Mademoiselle Chanel e de Mademoiselle Vionnet, trio da alta costura parisiense da época. Elas frequentavam o mesmo mundo e testemunhavam as mesmas aspirações.

Poiret, dos primeiros grandes costureiros e mito da alta costura, se tornou seu amigo por acaso, logo depois da chegada de Elsa a Paris. Ela foi a seu ateliê acompanhando uma amiga e houve uma empatia instantânea entre os dois. Nessa mesma visita, Poiret presenteou Elsa com um lindo manteau que parecia feito especialmente para ela. A paixão pela moda surgiu deste encontro.

O ateliê de Elsa, no auge da carreira, ficava numa esquina da Place Vendôme e era uma verdadeira festa. O grupinho “Schiap” em Paris era o mais animado e divertido: Marcel Duchamp, Man Ray, Jean Cocteau, Salvador Dali, e mais Lauren Bacall, Humphrey Bogart, Gary Cooper… só  gente mais que interessante!

Elsa era super criativa e seu bordador oficial era Lesage. Os acessórios originais foram a grande marca de Elsa. Formas jamais imaginadas como sapatos nos chapéus, colares de insetos, bolsas com fechaduras, fizeram com que ela revolucionasse a moda entre 1930 e 1940. Suas clientes eram: Katherine Hepburn, Greta Garbo, Glória Guinness e a Duquesa de Windsor. Elsa fez também figurino para o cinema com muito sucesso. Foi chamada de “a surrealista do mundo fashion”.

Que maravilha este bordado by Lesage!

O famoso vestido (acima) feito especialmente para a Duquesa de Windsor foi inspirado na escultura (abaixo) de Salvador Dali

Este vestido foi inspirado de um desenho de Cocteau

Elsa criava roupas como se fossem obras de arte e declarou que o processo de criar uma roupa é o mesmo de pintar um quadro ou fazer uma escultura. Foi ela que criou a linha esporte chamada hoje em dia de sportwear ou prêt à porter. Ela foi também a primeira a usar a sofisticação da moda para o mundo moderno e a vida prática.

Publicado em 19/02/13

 

Após mandato de dois anos da diretoria presidida por José Humberto Henriques, a Academia de Letras do Triângulo Mineiro realiza eleições para o biênio 2013 – 2015. A votação acontece dia 23 de fevereiro, às 14h30, na Biblioteca Municipal Bernardo Guimarães que, há 50 anos vem acolhendo a entidade dos escritores. Devem votar os 40 acadêmicos, comparecendo à assembléia, por procuração ou carta.

Uma chapa concorre ao pleito e tem como candidato à presidente o jornalista e escritor Jorge Alberto Nabut que, juntamente com os parceiros, tem propostas inovadoras para dar nova dinâmica à Academia de Letras.

A chapa é integrada por pessoas representativas da alta cultura triangulina: educadora, poetisa e cronista Terezinha Hueb de Menezes, poetisa e ativista cultural Vilma Terezinha Cunha Duarte, cronista e presidente da Academia por mais de 20 anos Mário Salvador, historiadora e uma das fundadoras do Museu do Zebu Maria Antonieta Borges Lopes e o historiador e articulista Antônio Pereira da Silva.

A experiência adquirida ao longo da trajetória que inclui a direção da Fundação Cultural de Uberaba, a criação e direção do MAS (Museu de Arte Sacra) e do MADA (Museu de Arte Decorativa), bem como de outras entidades como o Arquivo Público de Uberaba, o Museu Paleontólogo de Peirópolis, o CONPHAU, a direção cultural do Jockey Club de Uberaba e da Sala Cecília Palmério,  credencia o candidato à presidência a pleitear a direção da entidade cultural mais respeitada e representativa da vasta região do Triângulo Mineiro.

Sem falar nos livros publicados como historiador e poeta e nos mais de 30 anos em que ele atua como o principal colunista social da cidade, tendo adquirido o carinho, o respeito e admiração de toda a sociedade uberabense. Não poderia ser melhor a escolha do nome de Jorge Alberto Nabut para a presidência da Academia de Letras do Triângulo Mineiro. Aplausos e a certeza de uma gestão brilhante e diferenciada.

 

A chapa:

Presidente: Jorge Alberto Nabut (foto acima)

Vice-Presidente: Terezinha Hueb de Menezes

1º Secretário: Mário Salvador

2º Secretário: Vilma Terezinha Cunha Duarte

1º Tesoureiro: Maria Antonieta Borges Lopes

2º Tesoureiro: Antônio Pereira da Silva

Publicado em 18/02/13
em: Social

A cegonha presenteia agora os jovens casais com as  “crianças cristais”, que vão formar a geração do século 21. E que, felizmente, serão os alicerces dos novos tempos.

Em clima de brindes e na certeza de novas e renovadas energias, estão os casais Maria Fernanda Barra Helou e Eduardo Abrão Helou, pais de Carlos Eduardo em Goiânia; e Lígia Vasconcelos Khouri e Alex Khouri, pais de Malu, em São Paulo.

Nosso abraço especial a Maria Fernanda e Eduardo Helou, à pequena Malu e aos avós, Nilda e José Maria Barra e Marízia Abrão

Um grande abraço merecem também Lígia e Alex Khouri e a linda Malu, assim como seus avós paternos e os avós maternos, Sueli e Gilberto Vasconcelos

Publicado em 18/02/13

Ouro Preto foi decretada Cidade Monumento Nacional em 1933. Os olhares e o reconhecimento do mundo viriam em 1980, quando a Unesco a declarou Patrimônio Cultural da Humanidade, e onde está o maior conjunto barroco do mundo.

 Um grupo cult de Uberaba fará o City tour de 18 a 21 de abril de 2013, com o guia de turismo Giovanni Frigo,  com traje de época e acompanhado de violão para belas serestas, sob a batuta da agente cultural Divaina Borges.

Paul Meurs

 

 

 A hospedagem será no Grande Hotel de Ouro Preto, hotel projetado pelo saudoso Oscar Niemeyer, em excelente localização no centro histórico.  A saída de Uberaba será no dia 18 de abril, às 22h e o retorno, no domingo, dia 21, às 15h.

Sem muito esforço e alguma imaginação é possível ouvir os sussurros conspiratórios, os ideais subversivos, as intrigas palacianas… Os paralelepípedos cobrem um chão sagrado, abençoado pela história.

 

 O belíssimo roteiro começa com ida, de trem de ferro, para Mariana e volta de ônibus para conhecer a maior mina de ouro aberta à visitação do mundo: Mina da Passageme depois Museu da Inconfidência outros, além de igrejas, Cada da Ópera e Casa dos Contos

 

 

e Casa Guignard, em uma das mais charmosas ruas de Ouro Preto, repleta de cafeterias, restaurantes e lojas de artesanato.O museu funciona na casa onde viveu Alberto da Veiga Guignard, um dos maiores pintores e desenhistas brasileiros do século 20. O espaço exibe telas e desenhos originais – quase sempre inspirados na cidade colonial -, além de objetos pessoais e um chafariz em pedra-sabão atribuído a Aleijadinho. Demais! O valor pode ser pago em até quatro parcelas de R$ 160. Ligue (34) 8872-9686 (Oi) 9236-4383 – (TIM) e 3321-5284 (manhã) e reserve o seu lugar para conhecer Ouro Preto, além da história!

Publicado em 18/02/13
em: News

 

Não deixem de ler este texto interessantíssimo que do Professor DEONÍSIO DA SILVA

BIG BROTHER: INVASÃO DE PRIVACIDADE, MAS COM AUTORIZAÇÃO!

 

                            Deonísio da Silva

“Em 1993 ainda era possível surpreender-se. A bela e gostosa Sharon Stone, com as imagens ainda frescas na memória de todos do extraordinário cruzar de pernas sem calcinha no filme anterior, Instinto Selvagem, era vigiada por câmeras ubíquas, instaladas por William Baldwin em todo o prédio de luxo onde ambos moravam (ele, o dono; ela, a inquilina), cada qual em seu apartamento, mas que diferença fazia para o espião?

Como um deus que tudo vê, pior do que o triângulo ameaçador, com um olho no ângulo superior, quase sempre posto ao lado do crucifixo nos seminários onde estudaram tantos, ele vigiava tudo. Em vez de “Deus me vê”, “O vizinho me vê”.

Sexo, repressão e bisbilhotagem. Sharon Stone chorando durante um orgasmo é coisa de nunca mais se esquecer, cala-te boca! Um detalhe curioso: Baldwin pediu para excluir a cena em que ele fazia um nu frontal. Mas hoje as locadoras apresentam uma versão sem cortes, com diversas cenas que foram cortadas da telona, mas alto lá! O pudor americano, de ethos protestante, não causa escândalos nem em jardins da infância e educandários para pequerruchos brasileiros.

Baldwin e Sharon Stone

Nesses trópicos, seguindo Freud sem querer, a vida sexual começa cedo, em parte pelo clima, depois pela praia e antes de tudo pelos costumes paradoxais de um país que nasceu sob o signo da Contrarreforma, com ampla hegemonia do Concílio de Trento, mas com padres e demais colonizadores cercados de índios pelados por todos os lados na Ilha de Vera Cruz. Nem mesmo depois de mudado o nome para Santa Cruz ou Brasil, a repressão triunfou. Ao contrário, os franceses perderam a invasão de Portugal, mas logo após a queda de Napoleão, para cá vieram com tudo, principalmente com costumes mais avançados dos que aqueles vazados pelos padrões da época no século XIX!

O roteiro é de Joe Eszterhas. As ações se passam em Manhatan, o celebérrimo território de Nova York. A bela se envolve com a fera, e é desejada também por outro vizinho, Tom Berenguer, um furioso em estado bruto, suspeito número um dos assassinatos que ali ocorrem, escritor complicado e misterioso, com ideias sinistras. Invasão de Privacidade, adaptado do nome original, Sliver, logo estava disponível nas locadoras de vídeo, mas a censura nas salas prescrevia 18 anos, ave!

Sharon Stone e Tom Berenger em “Sliver”

Repressão a gente empacota e vende, devem pensar os produtores. Phillip Noyce, o diretor, deve ter agradado à Paramount, que ganhou um bom dinheiro com aquele filme, ao mesmo tempo comercial e artisticamente muito bem cuidado, com trilha sonora de clássicos da música eletrônica, com destaque para os da banda de roque industrial Young Gods. Sucesso mundial, o filme arrecadou 116 milhões de dólares, uma fortuna para a época.

O cinema, o vídeo e a televisão devem muito à literatura. Invasão de Privacidade retoma em verdade o clássico personagem de George Orwell, Big Brother, figura solar do romance 1984, publicado em 1948! A frase Big Brother is watching you, assim ambígua, pode significar que o Grande Irmão cuida de ti e também o Grande Irmão te vigia.

Mas se antes todos temiam o Big Brother, agora as coisas parecem de ponta-cabeça. Milhões de pessoas buscam olhar – melhor ainda se forem olhadas – os outros, vigiá-los, acompanhar cada pedaço do dia de suas vidas, com câmeras que por enquanto, mas só por enquanto, excluem o banheiro, ainda que, naturalmente, não o chuveiro.

A prova dos nove? Os milhões de telespectadores do programa homônimo da TV Globo, logo imitado por outras emissoras com nomes diferentes, mas sempre com o propósito solar do Big Brother original e do filme Invasão de Privacidade: o voyeurismo. Voyeurs e voyeuses – sim, as mulheres também são multidões no prazer de espiar a vida alheia e talvez tenham antecedido os homens nesse particular.

Salvador Dali: Voyeurs

Vivemos hoje na mídia, ao lado dessa patologia, uma outra de proporções igualmente alarmantes, a da confissão. A mídia, principalmente a televisão e a internet, transformaram-se em gigantescos confessionários.

A peça de madeira que hoje ainda vemos em igrejas e catedrais inclui uma treliça de madeira – talvez o conceito mais próximo do inglês Sliver, título original de Invasão de Privacidade, cujo significado é lasca, tira. Inventado na Idade Média por engenhoso carpinteiro, a pedido de autoridade eclesiástica superior, tinha o fim de evitar que ao confessar-se a pecadora, mesmo sinceramente arrependida dos pecados, principalmente daqueles contra a castidade, se agarrasse ao confessor e daqueles abraços de mútuo conforto entre penitente e confessor nascessem pecados ainda maiores do que aqueles que estavam sendo relatados. A treliça deixava passar a voz, não a imagem dos pecadores que, ajoelhados e contritos, aguardavam a penitência e a absolvição, prometendo nunca mais pecar! Voltavam a pecar, naturalmente, do contrário a próxima safra da igreja ia para as cucuias, mas os ritos não dispensavam três coisas: a confissão, o arrependimento e a promessa de não fazer mais aquilo!

Agora é tudo sem treliça. E se o sujeito quiser o descruzar de pernas sem calcinhas e muito mais, raramente com a elegância da primeira descruzada da diva, agora já caminhando para o acaso da sua estonteante beleza, as ferramentas – não é assim que são chamadas? – estão à disposição na rede.

Há celebridades instantâneas e explícitas, querendo mesmo se mostrar para vender os corpos, como garotas de programas e ofícios de domínio conexo, que há poucos anos se anunciavam como cachorras, potrancas e gatas – afinal temos um passado agropecuário glorioso, um presente igualmente abundante e um futuro promissor para quem põe tudo à venda – e também as implícitas, como aquelas pessoas que vão aos programas de televisão protagonizar os mais escandalosos barracos.

Você troca de canal? Nem eu! São imperdíveis retratos de nossa modernidade. Logo após um suado pastor subir o monte não sei das quantas com um volume enorme às costas, cujo título é Livro da Vida, vem outro anunciar as tribulações anunciadas por profetas furiosos. Aliás, eles adoram a palavra “tribulação” e se fixam no Antigo Testamento, pois o Novo é muito suave para o que objetivam. É preciso ameaçar o povo, não libertá-lo!

Depois disso, nas altas horas principalmente, vem o resto, aquilo que não pôde ser proclamado nos programas matutinos e vespertinos, em meio a receitas culinárias e conselhos matrimoniais.

Que vemos, então? Nos mais contidos, muitas lingeries. Nos mais explícitos, nenhuma!

Mas o que querem elas e eles? Querem apenas rosetar? Não! Agora todos querem se mostrar! E há olhos por todos os cantos, vendo tudo, à frente de ouvidos, que tudo ouvem.

Cesare Pavese

E o cérebro, propriamente? Bem, parodiando Cesare Pavese, o escritor italiano de Lavorare estanca (Trabalhar cansa) que, cansado de combater o fascismo, que o pôs atrás das grades, suicidou-se em Turim aos 42 anos, inconformado e desesperado com os rumos de seu país no após-guerra, pensar também cansa!

Bom mesmo é olhar! E olhar sem que o outro te veja, eis a chave do sucesso dessas permitidas invasões de privacidade.

A porta está aberta. Entre e olhe. Você não será visto! A impunidade está garantida. Será? Já se instalam câmeras em televisores para que sejam avaliadas as reações dos telespectadores. Na maioria deles as reações são as mesmas de uma alface ou de um repolho. Enquanto isso, na mesma sociedade que parece tudo vigiar, como mostram as multas de trânsito, inumeráveis crimes continuam sem solução, ao contrário do que ocorria em Invasão de Privacidade.”

Deonísio da Silva, escritor e professor, Doutor em Letras pela USP, é Vice-reitor de Extensão da Universidade Estácio de Sá, no Rio. Faz coluna semanal de Etimologia na revista CARAS.

Publicado em 17/02/13
SOBRE MIM

Sou Virginia Abdalla, colunista há mais de 25 anos e ao longo desse tempo, assino coluna que leva meu nome, onde busco trabalhar de forma abrangente e sólida. Ao mesmo tempo em que faço coberturas de festas, aniversários, casamentos, debuts, batizados, abro espaço para notícias de moda, decoração, gastronomia, arte e cultura, estilo de vida, temas sobre os quais, aliás, já editei matérias em cadernos especiais de jornais e revistas de Uberaba.

Continuar Lendo...

Comandei programa de entrevistas em TV local, sempre procurando destacar as  pessoas pelo seu talento. Tendo essa qualidade, todos estão prestes a figurar, a aparecer, a ser notícia também aqui neste Blog.O foco do meu trabalho jornalístico é sobre um colunismo social de eventos, mas também de hábitos e costumes, de identificação de dons artísticos, culturais e empresariais, num universo tão informativo quanto opinativo.
Sou graduada em Pedagogia pela Faculdade de Ciências e Letras Santo Thomaz de Aquino - com especializações no setor - e pós-graduada em Educação Latu Sensu pela Universidade Federal de São Carlos. Sou também empresária do setor gastronômico. Filha, mãe, avó e batalhadora!

Zoom Agência Digital
Fornace – A Sua Melhor Pizza
Arquivo
  • expand2013 (65)
  • expand2012 (494)

© 2017 Virginia Abdalla Blog . Todos os Direitos Reservados.
Powered by WordPress