Colaboração Alexandre Cury

 

Cumprimentos mais que especiais ao cientista Jacob Palis Júnior, à sua querida irmã, nossa amiga Lauanda Palis Duarte e à toda a família, por esta importante conquista: o Spirit of Abdus Salam Award 2019, que aconteceu na última quarta-feira, no Centro Internacional Abdus Salam de Física Teórica (ICTP, em inglês), em Trieste (Itália).

O matemático brasileiro Jacob Palis, pesquisador emérito do IMPA, foi um dos vencedores da distinção, anunciada em janeiro. O físico Sandro Radicella, do Laboratório de Telecomunicações do ICTP, e a Biblioteca Marie Curie, na sede do ICTP, também foram premiados.

Reconhecido por suas importantes contribuições ao desenvolvimento da ciência, especialmente à Matemática, Palis não pôde comparecer à cerimônia porque está se recuperando de uma cirurgia recente. Do hospital, gravou um vídeo bem-humorado em agradecimento.

 

Grande cientista, uberabense Jacob Palis Júnior

 

Niver na fazenda

 

Foi um dia delicioso na fazenda do senhor Antônio Américo Brandi, para a dupla comemoração dos aniversários de Leozinho – que fez oito anos – e de Clarinha – que fez 6 anos, o lindo casal dos queridos amigos Leonardo Brandi e Fernanda Rodrigues da Cunha Brandi.

Uma festa para os amiguinhos e seus pais, que vivenciaram uma experiência única. Teve carruagem, cavalgada, boizinho, as crianças plantaram, regaram e aproveitaram muito. Encantamento! Leilinha Rodrigues da Cunha e o bisavô Antonio Ronaldo Rodrigues da Cunha foram os felizes anfitriões.

Leonardo Brandi e Fernanda com o filhos Leozinho e Clarinha

Antonio Ronaldo Rodrigues da Cunha com a neta Fernanda e as filhas Maria Inês e Leilinha.

O cenário da festa

Crianças no boizinho

Cavalgada monitorada

Os lindos Leozinho e Clarinha

Todo o xodó da vovó Leilinha

As mamys adoraram o passeio de charrete

Fernanda com grupo de amigas

 

Casamento Luana e André

 

Noivos do último sábado, na Capela do Marista, Luana Caroline de Oliveira e André Luiz Dutra!! Assessoria da competente Tatiana Botelho!! Felicidades!!!

FOTO: Paulo Villas Boas


 

Casamento Gabriela e José Leandro

Também no último sábado, aconteceu o enlace do querido casal Gabriela Queiroz e José Leandro Garcia. Tudo lindo e emocionante!! Radiantes estavam também os pais dela Geralda Queiroz e Agustinho Queiroz e os pais dele Luzdalma Garcia e Sergio Joaquim. A decoração impecável pelas mãos do competente Welliton Freitas!!Um luxo!! 

FOTOS: Lúcio Alves 

Os noivos

Os noivos com os pais dela

Os noivos com o pai dele

A decoração estava espetacular! Detalhe especial para a mesa dos doces com bolo gigante, especialmente feito para esse casamento!!

 

Dupla Bruno e Diego

 

Lançamento da dupla Bruno e Diego, na última sexta feira, foi um sucesso. Amigos de Brasília, Belo Horizonte, Uberlândia, Ribeirão Preto e, claro, de Uberaba, fizeram questão de prestigiar essa dupla que já encanta a todos. Desejamos sucesso!!

FOTOS: Carol Borges e Hugo Brito

Dupla Bruno e Diego

 

Nota 10

 

Empresa aérea Emirates patrocina o time do Benfica, em Portugal.
Em vez de colocar somente a logomarca, como as outras patrocinadoras, a Emirates inova ao simular os preparativos de um voo, só que no campo de jogo, minutos antes de começar a partida, para delírio da torcida.
É fantástico e merece nota 10 em marketing!

 

Palestra com o Mestre Jaime Arôxa

 

Anote na agenda que dia 20 de Setembro as 19:00hs, acontecerá a Palestra “ O Poder de Transformação da Dança”, com o Mestre Jaime Arôxa, no Anfiteatro do Hospital Dr. Hélio Angotti. A troca dos alimentos pelos convites já estão disponíveis, basta entrar em contato pelo telefone (34)99190 9500. A cada 05 quilos de alimentos não perecíveis, você adquire 02 convites.

 

 

IMAGENS QUE SÃO NOTÍCIAS

 

Médico Eduardo Castanheira e Priscila com o filhinho Artur, curtindo temporada de tour Europeu.

 

Quem também aproveitou tudo de Paris e Londres foi nossa querida amiga Rosânia Aparecida Silva.

 

Daniel Franco, Presidente do Instituto Daniel Franco -IDF, junto com a diretora educacional, Giovana Meireles, preparam coquetel de inauguração do escritório regional com a presença de autoridades internacionais. Solenidade está marcada para o dia 17 de setembro que também marca o lançamento do Centro Internacional de Capacitação Mário Franco.
O Instituto Daniel Franco, entidade sem fins lucrativos, atua para levar conhecimento técnico a países africanos, por meio de uma plataforma digital, fomentando o agronegócio destes países.

 

Maria Paula, completou 01 aninho e ganhou festa dos pais Daniele Alkimim e José Paulo. Na foto, elas recebem o carinho da querida pediatra Dra. Sônia Silva.

Alzira Fernandes Batista a caminho de Santiago de Compostela

Aniversários

Luis Carneiro comemorou o aniversário no último dia 05, e recebeu o carinho da namorada Bruna Rodrigues.

 

Dia 05 a empresária Elisa Fortes comemorou ao lado de familiares e amigos o aniversário. Parabéns.

Frederico Costa Fernandes, comemorou o aniversário no último dia 03, ao lado do lindo filho Lorenzo!!

Acesse também em: www.jmonline.com.br

 

Publicado em 09/09/19

Colaboração de Alexandre Cury

 

Chá de berço para Laura

 

Sempre atenciosos e simpáticos Cintia e Alysson Junqueira, abriram as portas de sua residência para receber familiares e amigos do querido casal Suzana Nunes Martins e Alexandre Fonseca para o chá de fraldas da tão aguardada Laura.
Dentre os presentes estavam os pais dela, Palmira e Norberto, a irmã, Sabrina e as amigas Rosália Curado, Ana Cláudia Ferreira, Regina Junqueira, Erica Gambardella, Ana Augusta Milano, Denise, Bia e Julia Tahan entre inúmeras outras amigas da estimadíssima Suzana.

 

Suzana Nunes Martins e Alexandre Fonseca

Cíntia e Suzana, com a mãe dela, Palmira e a irmã Sabrina

Os anfitriões com toda a família dos homenageados

Suzana ladeada por Heloisa Borges e Denise Tahan

Julia e Bia Tahan também foram levar seu carinho a Suzana

A turma toda de amigas reunidas no chá berço de Laura

Detalhes caprichados e deliciosos docinhos

A mesa do bolo para Laura

 

Bodas de Diamante

Pais de quatro filhos: Clóvis, Luciana, Leonardo e Rosana, Sylvia e José Paula de Oliveira festejam com festa íntima seus 60 anos de casados durante jantar num dos badalados restaurantes da cidade. Decoração da linda, com arranjos caprichadíssimos, mereceram mil elogios. Os netos fizeram questão de ficar pertinho dos avós e, pelas lentes de Caio Romano, registrar com carinho este momento feliz. Tudo muito lindo e emocionante, com piano ao vivo completando o clima da comemoração.

FOTOS CAIO ROMANO

Sylvia Pontes Prata Oliveira e José Paula de Oliveira comemoraram seus 60 anos de casados

 

 

Clóvis, Rosana, Leonardo e Luciana Prata Oliveira ao lados dos seus queridos pais Sylvia e José

Rosana e seu esposo Fernando Santos, com as filhas Maria Tereza e Maria Fernanda e o genro Pedro Abud com Sylvia e José

Sylvia Pontes Prata Oliveira e José Paula de Oliveira (Nhô) curtiram o carinho dos netos na comemoração das Bodas de Diamante

 

Jaime Arôxa aqui

 

Será amanhã, 20 de agosto, às 17 horas, a palestra com o mestre da dança Jaime Arôxa, com entrada gratuita. Professor, dançarino e coreógrafo consagrado, Arôxa vai falar sobre um tema atualíssimo: O Poder de Transformação da Dança. A palestra vai acontecer no Anfitratro do Hospital Helio Angotti, que patracina o evento junto com Henrique Felício.

 

Aniversário

Laura Fuzinaga comemora o aniversário hoje dia 19, e recebe o carinho especial do marido Tiago Oliveira!!

 

 

Mundo do luxo

 

A família Versace é conhecida pelo estilo e não apenas quando o assunto é roupa. A antiga mansão de Gianni Versace, em South Beach, era, obviamente, lendária e equipada pelo designer com impressionantes móveis importados, estátuas artesanais, mosaicos intrincados e muito mais. Agora, sua irmã Donatella Versace comprou uma casa de férias na Itália por cerca de R$ 24 milhões.

Espalhada por mais de 1.400 metros quadrados, a mansão de quatro andares com vista para o Lago Maggiore é conhecida como La Verbanella. Possui 20 quartos, um belo jardim, várias varandas, uma piscina, e acesso privativo ao lago, que fica na fronteira entre a Itália e a Suíça.

A morada também tem uma história bastante rica. Anteriormente era de propriedade da família Mondadori (os fundadores de uma das maiores editoras da Itália), que a comprou na década de 1920 e recebeu muitos convidados famosos ao longo dos anos. Abaixo, veja detalhes da propriedade que deve receber uma reforma para ficar a cara da dona!

 

A vista privativa para o Lago Maggiore

A mansão de Donatella Versace

 

O estar

Sala de jantar

Biblioteca e jogos

 

Pizza solidária

Ingresso para a Pizza Solidária pode ser adquirido no Asilo Santo Antonio. Vamos colaborar!

 

Aniversário Glendha Luz

A querida e competente designer de interiores Glendha Luz e o marido Rodrigo Souto, abriram as portas da bela residência do casal, para comemorar o aniversário dela!! Casa cheia de amigos, a festa adentrou a noite, regada a risadas e muitos “flashes” – ela ama tirar fotos!
Receber bem é uma das qualidades desse querido casal, e para isso eles contaram com a ajuda da Chef Mariza Cury!!
A animação ficou por conta da cantora Joyce Morlin e os drinks a cargo da Zebu Coquetelaria e o bolo by Izabelle Tuychi.
Confira fotos feitas por Ingrid Martins, especialmente para essa coluna!!

Glendha e o marido Rodrigo Souto

Dani Dornelas, Rodrigo Souto, Joyce Morlin, Glendha, Jessica Morlin e Juliana Ribeiro

Glendha e a Chef Mariza Cury

Cantora Joyce Morlin animou a festa!

André Ferreira, Simone Cartafina e Melissa Faozolino sopraram as velas junto com a Glendha, pois são aniversariantes recentes!!

Adílio e Karine Assunção com a aniversariante

Taciana Mindin, Ana Kelly, Glendha e André

Denise Árabe,Marcia Hueb, Simone Cartafina, Alê Roso, Alexandre Cury, Thais Curi e Ana Silvia com a aniversariante!

 

Ecos da big party

 

Alexandre Assumpção e Richard Gastaldon festejaram juntos seus aniversários com um festão que reuniu familiares de ambos e os amigos mais íntimos. Foi tudo muito lindo, perfeito para a ocasião, quando Alexandre abriu mão dos arranjos convencionais e montou uma decoração com nova e moderna proposta: muitas frutas em cilindros de vidro, muitas folhagens, razões dos unânimes elogios.

Entre amigos e familiares, a mãe de Richard, Maru Gastaldon e os pais de Alex, Vera e Cecílio Assumpção.

Todo mundo de preto, como optaram os aniversariantes, dançando muito com som dos DJs Fabiano, Karol Morgado e Luís Fernando Furlan.

 

FOTOS PAULO LÚCIO

Alê e Richard com Claudinha Dib

Marta Montes, Jane Cordeiro e Lídia Prata

Aniversariantes com amigos, entre eles Maria Cláudia Cicci, Marcos Montes e sua filha Guta

Richard com Claudinha Ribeiro e Fernando

Alexandre Assumpção com seus pais Cecílio e Vera

Alê com o casal Monica e Daniel Abreu

Luiz Carlos Souza Campos e Suzanne Jardim

Geraldo Djalma, Adriana Perez e Bia Calori

 

Casamento Giovanna e Luiz Alberto

O lindo casal Giovanna Pagliaro Bóscolo e Luiz Alberto Martins, reuniram familiares e amigos, no último sábado, para celebrar a união e o amor!!! A igreja São Domingos foi o local escolhido!!! Os pais dos noivos, Rosângela e Luiz Fernando Martins e Simone Cartafina e Renato Bóscolo estavam radiantes. A decoração impecável de Alexandre Assumpção surpreendeu a todos pela originalidade e pela sutileza no uso das plantas!!! A área externa foi toda preparada para que os noivos e seus pais recebessem os cumprimentos dos convidados. Algo nunca visto em Uberaba!! As escadas cobertas por samambaias, palmeiras em pontos estratégicos, uma mesa com bem-casados e uma iluminação espetacular – tudo isso ao som do Musical Arte Fantástica!!

FOTOS  Alex Pacheco

Os noivos trocando as alianças, com a Benção do padre Fabiano

Os noivos ao lados dos pais

Os noivos e todos os padrinhos e madrinhas

O bouquet da noiva foi feito pela Daniela Flores, com ervas aromáticas, alecrim, sálvia, lavanda!! E levava as fotos dos avós padrinhos dela, Vilvio e Dalva!!

Damas e pagens entrada: Maria e Gustavo , Beatriz e Augusto, Isabela e Henrique!! Todos primos dos noivos!

Os noivos com o casal Herbert e Adriele Rezende

Decoração externa

Musical Arte Fantástica

Decoração interna !! Um luxo!

Saída dos noivos, marcada por uma queima de fogos!!

 

 

Acesse também: www.jmonline.com.br

 

Publicado em 19/08/19

Colaboração Alexandre Cury

 

Sacramento do Batizado

 

O Batismo é o primeiro Sacramento e o início de uma vida iluminada pela bondade de Deus. Assim Isabel Perfeito Abud recebeu a Unção no Santuário da Medalha Milagrosa. Cerimônia linda e abençoada, celebrada,  pelo Padre Fábiano, o tio Fafá, como é chamado pelas crianças.

Junto a Isabel seus pais Gustavo Abud e Paula Borela Perfeito Abud e os avós Luiza e Pércio Perfeito, Sandra e Jorge Abud.
Pra festejar esse momento os pais de Isabel receberam no sítio da família Abud para um delicio momento de confraternização. Tudo lindo, preparado com muito carinho pela vovó Luiza Borela.

 

FOTOS ALYSSON OLIVEIRA

 

A pequena Isabel Borela Perfeito Abud

 

Isabel com seus Gustavo e Paula e os padrinhos de batismo Túlio Abud e Milena Amui Abud à espera de Maria Clara

 

Madrinha de consagração a priminha Sophia e seu pai Jorge Felipe

 

Com os avós maternos Luiza e Pércio Perfeito…

 

…e com os avós paternos, Jorge Abud e Sandra

 

Mesa dos doces e do bolo de batizado

 

Tudo organizado pela vovó Luiza Borela

 

Primorosos docinhos de batizado

 

 

Enzo: em ebulição

 

Enzo Pálha jovem talento em ascenção: bonito, simpático, bem relacionado e criativo

 

Há alguns dias conheci um desses talentos da Geração Z que estão revolucionando o Terceiro Milênio com seus novos conceitos diferenciados em relação direta com a expressividade, o rompimento de fronteiras geográfica, a busca do equilíbrio entre a tecnologia e livre arte da criação. Na medida.

 

Quadro assinado por Enzo Pálha

 

Assim é, aos 15 anos, Enzo Assunção Palhares, ou melhor, Enzo Palha, que começou a desenhar aos 7 anos de idade e já acumula no currículo nada menos que 3 exposições aqui em Uberaba. A primeira (onde apresentou, em 2017, telas e desenhos) e a segunda (só de roupas) foram no Centro Cultural José Maria Barra; a terceira, em junho deste ano, aconteceu no Praça Shopping e mostrou um mix de desenhos e pinturas com peças de vestuário. Um show!

 

Moda no DNA

As gerações que conheceu de mulheres da sua família sempre foram antenadas com o ramo da moda – criações e negócios – ao que o próprio artista atribui como influência direta para o segmento, inclusive sua avó e incentivadora Lídia, a quem é muito ligado. De uma coisa Enzo Pálha tem certeza: vai se formar em Moda na Universidade da Beira Interior, em Portugal, considerada uma das melhores instituições de ensino da Europa e uma das 150 melhores universidades jovens do mundo.

 

Os amigos são os próprios modelos que desfilam as criações de Enzo, estas acima batizadas de “Sal de Setembro”, em que utiliza tecidos naturais, como linho e algodão

 

Nas telas – assim como nas roupas – Enzo utiliza muito carvão e óleo

 

Última exposição em junho deste ano, com as peças da coleção Ode à botânica da moda

 

A propósito

O legado de Christina Dior que toma conta do museu britânico Victoria & Albert, em Londres tem sido a mais visitada de todas até hoje com filas e filas de espera, embora tenha sido aberta em fevereiro deste ano. Também pudera. Lá estão reunidos mais de 500 objetos, com 200 peças de alta costura sendo exibidas ao lado de acessórios, fotografias, perfumes, maquiagens, ilustrações e revistas.

 

“Dior: Designer of Dreams”, inclui também uma seleção de pertences pessoais do estilista, contando toda a trajetória de vida de Dior. Dividido em 11 seções, a exposição, supervisionada pelo curador de tecidos modernos e moda do da V&A, Oriole Cullen, traça a história e o impacto dele e dos seis diretores artísticos que o sucederam.

 

 

 

 

Considerada a maior exposição de moda do museu desde Alexander McQueen: Savage Beauty, em 2015, a mostra ainda é organizada de forma temática, com áreas focadas em diferentes aspectos da casa de moda, incluindo uma sala que explora o fascínio da Christian Dior por jardins.

 

Claridge 25’

 

Depois do feriado, todo mundo daqui afivela as malas e vai a São Paulo brindar com Paula Hueb Abdala os 25 anos da sua loja Claridge House, sucesso absoluto entre arquitetos e decoradores de todo o país.

A mostra “Claridge 25 Anos” – aberta a convidados da 10 às 18 horas na Gabriel Monteiro da Silva – também contará com espaços assinados por escritórios famosos e respeitados no segmento. São eles Fadul Copello, Decor _Home, Bruno Carvalho e Spaço Interior.

 

Paula Hueb comemora os 25 anos da sua Claridge House

 

Imagens que são notícias

Luiz Otávio Neto festejou seus 5 anos em niver temático, cercado pelo carinho de seus pais Fernanda e Luiz Otávio Figueiredo e da irmãzinha Maria Luisa

 

O aniversariante com seus pais a irmã e os avós Ana Maria e Luiz Otávio Vera Tuychi e José Renato Assis

 

 FOTOS ALEX CURY

 

Em espaço fashion Eliana, Beatriz e Lilane Richter

 

Graça Camargos confere as principais tendências do verão 2020

 

Glendha Luz comemorou seu niver no último dia 5. Felicidades!

 

Telma Sabino de Castro se prepara para mudança de endereço ainda este mês

 

 Mês dos Pais

FOTOS MARISE ROMANO

 

André Tuma passou o Dia dos Pais coladinho ao filho Eduardo

 

Claudio Antonio de Oliveira com seus filhos João Augusto e Gabriela

 

Carlos Fernandes paparicado pelos filhos Bento e David

 

Acesse também www.jmonline.com.br

Publicado em 11/08/19

Um dos pontos altos da carreira de Bibi Ferreira foi, sem dúvida, sua interpretação como protagonista da peça musical Gota d´Água, de Chico Buarque e Paulo Pontes (então sexto e último marido de Bibi), que tive a honra de assistir – e me impressionar – em palcos paulistanos.

 

Dividida em dois atos, A Gota d’Água espelha uma tragédia urbana, adaptada da peça grega clássica de Eurípedes. No caso, Joana, a Medéia de um subúrbio carioca, que prefere a morte ao abandono do amado Jasão. Nesta montagem original, do finalzinho dos anos 70, também faziam paetê do elenco Oswaldo Loureiro, Roberto bonfim e Bete Mendes, entre outros grandes.

Publicado em 18/02/19

Jorge Alberto Nabut com os músicos Risa Adachi (pianista japonesa) e Matias e Oliveira Pinto (violoncelista), ambos radicados na Alemanha

O Udi Cello Ensemble, sob a liderança de Kayami Satomi, trouxe as cores e timbres do Brasil expostos através da voz do violoncelo, como pouco já se viu e ouviu. As melodias das ruas brasileiras, dos folguedos, das cordas de um violão, os ritmos dos batuques das tribos, sons da mata, do Norte e do Sul.  É o imaginário brasileiro correndo nas veias deste instrumento importado da cultura européia dançando com um típico swing nato brasileiro. Quem foi adorou.
E  na sexta-feira, às 20 horas, acontece o encerramento oficial das atividades da II Violoncelada Peirópolis..

Com certeza esse é o concerto mais especial da programação! Lá todos os alunos e professores se juntam para fazer música e o som dos violoncelos inundam Peirópolis deixando o parque com aquele clima todo especial e aconchegante que a gente só costuma ver nos filmes!

LOCAL: Gramado do Museu de Peirópolis
CLASSIFICAÇÃO: Livre
Leve sua toalha de chão, cesta de pique-nique e aproveite com sua família e amigo!

ENTRADA FRANCA

Publicado em 18/10/18

Noam Chomsky é um dos intelectuais mais respeitados do mundo. Este pensador americano foi considerado o mais importante da era contemporânea pelo The New York Times. Uma de suas principais contribuições é ter proposto e analisado as estratégias de manipulação de massa que existem no mundo hoje.

Noam Chomsky ficou conhecido como lingüista, mas também é filósofo e cientista político. Ao mesmo tempo, ele se tornou um dos principais ativistas das causas libertárias. Seus escritos circularam pelo mundo e não param de surpreender os leitores.

Chomsky elaborou um texto didático no qual ele sintetiza as estratégias de manipulação maciça. Suas reflexões sobre isso são profundas e complexas. No entanto, para fins didáticos, ele resumiu tudo em princípios simples e acessíveis a todos. Confira a seguir.

1. A distração das estratégias de manipulação maciça

Segundo Chomsky, a mais recorrente das estratégias de manipulação massiva é a distração. Consiste basicamente em direcionar a atenção do público para tópicos irrelevantes ou banais. Desta forma, eles mantêm as mentes das pessoas ocupadas. Para distrair as pessoas, abarrotam-lhes de informações. Muita importância é dada, por exemplo, a eventos esportivos. Também ao show, às curiosidades, etc. Isso faz com que as pessoas percam de vista quais são seus reais problemas.

2. Problema-reação-solução

Às vezes o poder, deliberadamente, deixa de assistir ou assiste de forma deficiente certas realidades. Eles fazem dessa visão dos cidadãos um problema que exige uma solução externa. E propõem a solução eles mesmos. Essa é uma das estratégias de manipulação em massa para tomar decisões que são impopulares. Por exemplo, quando eles querem privatizar uma empresa pública, intencionalmente diminuem sua produtividade. No final, isso justifica a venda.

3. Gradualidade

Esta é outra das estratégias de manipulação maciça para introduzir medidas que normalmente as pessoas não aceitariam. Consiste em aplicá-las pouco a pouco, de forma que sejam praticamente imperceptíveis.Foi o que aconteceu, por exemplo, com a redução dos direitos trabalhistas. Em diferentes sociedades têm implementado medidas, ou formas de trabalho, que acabam fazendo com que o trabalhador não tenha garantia de segurança social normal.

4. Adiar

Esta estratégia consiste em fazer com que os cidadãos pensem que estão tomando uma medida que temporariamente é prejudicial, mas que no futuro pode trazer grandes benefícios para toda a sociedade e, claro, para os indivíduos. O objetivo é que as pessoas se acostumem com a medida e não a rejeitem, pensando no suposto bem que trará amanhã. No momento, o efeito da “normalização” já operou e as pessoas não protestam porque os benefícios prometidos não chegam.

5. Infantilizar o público

Muitas das mensagens televisivas, especialmente publicidade, tendem a falar ao público como se fossem crianças. Eles usam gestos, palavras e atitudes que são conciliadoras e impregnadas com uma certa aura de ingenuidade. O objetivo é superar as resistências das pessoas. É uma das estratégias de manipulação massiva que busca neutralizar o senso crítico das pessoas. Os políticos também empregam essas táticas, às vezes se mostrando como figuras paternas.

6. Apelar para as emoções

As mensagens que são projetadas a partir do poder não têm como objetivo a mente reflexiva das pessoas. O que eles procuram principalmente é gerar emoções e atingir o inconsciente dos indivíduos. Por isso, muitas dessas mensagens são cheias de emoção. O objetivo disso é criar uma espécie de “curto-circuito” com a área mais racional das pessoas. Com emoções, o conteúdo geral da mensagem é capturado, não seus elementos específicos. Desta forma, a capacidade crítica é neutralizada.

7. Criar públicos ignorantes

Manter as pessoas na ignorância é um dos propósitos do poder. Ignorância significa não dar às pessoas as ferramentas para que possam analisar a realidade por si mesmas. Diga-lhe os dados anedóticos, mas não deixe que ele conheça as estruturas internas dos fatos. Manter-se na ignorância também não dar ênfase à educação. Promover uma ampla lacuna entre a qualidade da educação privada e a educação pública. Adormecer a curiosidade de conhecimento e dá pouco valor aos produtos de inteligência.

8. Promover públicos complacentes

A maioria das modas e tendências não são criadas espontaneamente. Quase sempre são induzidas e promovidas de um centro de poder que exerce sua influência para criar ondas massivas de gostos, interesses ou opiniões. A mídia geralmente promove certas modas e tendências, a maioria delas em torno de estilos de vida tolos, supérfluos ou mesmo ridículos. Eles convencem as pessoas de que se comportar assim é “o que está na moda”.

9. Reforço da auto-censura

Outra estratégia de manipulação em massa é fazer as pessoas acreditarem que elas, e somente elas, são as culpadas de seus problemas. Qualquer coisa negativa que aconteça a eles, depende apenas delas mesmas. Desta forma,  fazem-lhes acreditar que o ambiente é perfeito e que, se ocorrer uma falha, é responsabilidade do indivíduo. Portanto, as pessoas acabam tentando se encaixar em seu ambiente e se sentindo culpadas por não conseguir. Elas deslocam a indignação que o sistema poderia causar, para uma culpa permanente por si mesmos.

10. Conhecimento profundo do ser humano

Durante as últimas décadas, a ciência conseguiu coletar uma quantidade impressionante de conhecimento sobre a biologia e a psicologia dos seres humanos. No entanto, todo esse patrimônio não está disponível para a maioria das pessoas. Apenas uma quantidade mínima de informações está disponível ao público. Enquanto isso, as elites têm todo esse conhecimento e usam-no conforme sua conveniência. Mais uma vez, fica claro que a ignorância facilita a ação do poder sobre a sociedade.

Todas essas estratégias de manipulação em massa visam manter o mundo como ele é mais poderoso. Bloqueie a capacidade crítica e a autonomia da maioria das pessoas. No entanto, depende também de nos deixarmos ser passivamente manipulados, ou oferecer resistência tanto quanto possível.

Publicado em 05/07/18
 O Salário não é a principal fonte de insatisfação dos brasileiros dentro das empresas. Mais do que uma remuneração condizente com o que seria justo pelo seu trabalho, as pessoas querem ser reconhecidas e valorizadas dentro das organizações. Ser mais uma peça da engrenagem é um fardo nos tempos atuais, defende o filósofo Mário Sérgio Cortella.

Docente, educador, palestrante e consultor de empresas, Cortella afirma que a principal causa da atual desmotivação é a ausência de reconhecimento. E ela manifesta-se de várias formas: do chefe injusto à falta de valorização em cada projeto e tarefa. Não é uma questão puramente de promover o elogio desmesurado, mas uma forma de “dar a energia vital ao funcionário para continuar fazendo e seguindo em frente”.

É principalmente evitar a mensagem de que “não ser mandado embora já é um elogio” ou que “o silêncio é a melhor maneira de dizer que está tudo em ordem”.

Em seu novo livro, Mário Sérgio Cortella fala sobre reconhecimento e de outras questões que considera inerentes à insatisfação de muitas pessoas hoje em relação ao próprio emprego. Em “Por Que Fazemos O Que Fazemos” [Editora Planeta], o professor reflete sobre próposito e por que as pessoas almejam empregos que conciliam uma satisfação pessoal e a certeza de não realizar um esforço “inútil” dentro da sociedade. Este tipo de aflição ganha maior evidência com a geração millennial que passou a almejar um “projeto de vida que não soe como conformado”, ou seja, do trabalho pelo trabalho.

É sonhar com o trabalho grandioso, com uma rotina que não seja monótona, com um ‘projeto que faça a diferença’. Por outro lado, é uma geração também que chega – em parte – com pouca disciplina, que tem ambição e pressa, que vê seus desejos como direitos – e ignora os deveres.

Todas essas aflições corporativas têm moldado a forma de atuar das empresas e das pessoas na hora de se associarem a um emprego. Em momentos de crise econômica, elas ganham um nível de contestação ainda maior. Em entrevista à Época Negócios, Cortella comenta esses dilemas e mudanças, os “senões” de se fazer o que se ama e por que há uma “obsessão enorme por uma ideia de felicidade que não existe”: o RECONHECIMENTO.

Reconhecimento é a melhor forma de estimular alguém

As pessoas não querem mais somente um salário mais alto, querem acreditar que fazem algo importante, autoral. Por que a necessidade de ter propósito ganhou maior relevância? É uma questão geracional?

Ela é mais densa e angustiante na nova geração que enxerga muitas vezes na geração anterior, que a criou, certa estafa em relação ao propósito. É muito comum que jovens e crianças enxerguem hoje nos pais algum cansaço e até tristeza naquilo que fazem. O pai e mãe dizem “eu trabalho para sustentar, esse é meu trabalho”. Há uma grande conformidade. E essa conformidade de certa forma acabou marcando uma nova geração, a millennial, que traz aí a necessidade de ter algum projeto de vida.

Eles não querem repetir um modelo que, embora esforçado, dedicado e valoroso soa, de certa maneira, como conformado. Hoje há uma aflição muito grande na nova geração de maneira que se traduz numa expressão comum: “eu quero fazer alguma coisa que me torne importante e que eu goste”. A geração anterior tinha um pouco essa preocupação, mas deixou um tanto de lado por conta da necessidade.

Quando o sr. se refere à geração Y, aos millennials, está considerando um recorte ou o todo?

Claro que temos recortes. Não estou falando de quem está atrelado ao reino da necessidade, que precisa trabalhar sem discussão porque precisa sobreviver. Esta é uma questão de outra natureza. O termo millennial que eu adoto, como muitos, é aquele que cunharam para quem nasceu a partir dos anos 1990. E essa geração tem recortes mais diretos em relação à camada social.

Evidentemente se você considerar aqueles que são escolarizados, têm boa condição de vida e que estão acima da classificação oficial da classe D, essa geração tem mais possibilidade de escolha à medida que a sobrevivência imediata não é uma questão. Ela pode viver até mais tempo com os pais e ser por eles sustentada. Isso vem acontecendo. Já integrantes das classes D e E têm mais dificuldade – uma parcela às vezes encontra sobrevivência na transgressão, no crime de outra natureza e outros encontram aquilo que é o trabalho suplicial que o dia a dia coloca sem escolhas.

Como o senhor diz no seu livro até para ser mochileiro, você precisa ser livre de uma série de restrições…

Sim, você precisa dominar outro idioma, saber se virar. Há uma diferença entre um filho meu, de camada média, com uma mochila nas costas andando pela rua em relação ao modo que ele se conduz, à maneira como ele se dirige às pessoas do que ele ser, por exemplo, um andarilho. Uma pessoa pode até ser mochileira, mas ela já tem condições prévias que a tornam uma mochileira com menos transtornos do que como seria de outro modo.

O senhor diz frequentemente que, para fazer o que se gosta, é preciso fazer uma série de coisas das quais não se gosta. Esse entendimento provém de uma educação na empresa, da família ou escola?

É uma questão de formação familiar. Hoje há uma nova geração que, especialmente nas classes A, B e C, cresceu com facilitações da vida. Hoje a gente até fala em “adolescência estendida” que vai até aos 30 anos e não necessariamente até os 18 anos. São as pessoas que continuam vivendo com os pais, sob sustentação.

Isso acabou levando também a uma condição, que uma parcela dos jovens entende que “desejos são direitos”, que vão obter aquilo porque é desejo deles e um outro vai providenciar. Cria-se assim a perspectiva equivocada de que as coisas podem ser obtidas sem esforço. Mas sabe, eu lembro sempre, trabalhar dá trabalho. Como costumo dizer: “só mundo de poeta que não tem pernilongo”. É óbvio que isso não anula a riqueza que essa nova geração tem de criatividade, expansividade, de receptividade em relação a vários modos de ser. Uma geração mentalmente rica, mas que precisa de um disciplinamento – que não é torturante, mas pedagógico – e que começa na família e vai encontrando abrigo na empresa.

Essas estruturas são importantes para que essa energia vital não se dissipe. É preciso organizar essa energia de modo que não se perca com inconstâncias, para ser algo que possa de fato gerar benefício para o indivíduo e para a comunidade dele.

As empresas ainda não sabem lidar, de forma geral, com a energia desses jovens?

Não, elas ainda estão começando a aprender. Há algumas que já possuem uma certa inteligência estratégica e estão se preparando e preparando seus gestores para que acolham essa nova geração como um patrimônio e não como um encargo. Porque quando você acolhe a nova geração como um encargo, em vez dela ser “sangue novo”, ela se torna algo que é perturbador. E é claro que não é só o jovem que tem de se preparar para essa condição. É necessário que a pessoa que a receba seja acolhedora, mas que também se coloque em uma postura de humildade pedagógica. Que ela saiba que vai aprender muito com alguém que chega com novas habilidades que a geração anterior não tem. Lidar nos dois polos de maneira que equipes multigeracionais ganhem potência em vez de entrarem em situação de digladio ou confronto.

Nesses dois polos, os profissionais mais seniores ficam inseguros com receio de que seu papel não seja mais relevante nas organizações. Como eles podem lidar com esse novo cenário?

Eu só conseguirei ter essa percepção de que estou ficando para trás se eu deixar de lançar mão daqueles que chegam com coisas que eu ainda não conheço. E aí eu não vou ter só a percepção, eu vou ficar mesmo para trás. A gente aprende muito com quem chega, mas a gente também tem o que ensinar. Tem dois princípios que precisamos implantar: 1) quem sabe, reparte 2) quem não sabe, procura. Se eu formar seniores e juniores nesses dois princípios, de um lado vai ter generosidade mental e de outro a humildade intelectual.

Essas duas trilhas virtuosas serão decisivas para que a gente construa maior potência no que precisa ser feito.

Com todos esses dilemas e mudanças, a ambição é necessária? Uma pessoa ambiciosa é boa ou perigosa para a empresa?

A pessoa ambiciosa é aquela que quer ser mais e melhor. É diferente de uma pessoa gananciosa, que quer tudo só para si a qualquer custo. Uma parte do apodrecimento que nosso país vive no campo da ética hoje se deve mais à ganância do que à ambição. Eu quero um jovem ambicioso. Eu, Cortella, sou ambicioso. Quero mais e melhor. Mais e melhor conhecimento, mais e melhor saúde. Mas não quero só para mim e a qualquer custo. A ganância é a desordem da ambição. É quando você entra no distúrbio que é eticamente fraturado. Por isso, é necessário que uma parte dos jovens seja ambiciosa. Um ou outro tem sim essa marca da ganância caso ele seja criado em uma família, estrutura, comunidade, na qual a regra seja a pior de todas: “fazemos qualquer negócio”. E essa regra é deletéria, é malévola aos negócios que, embora possam ser feitos, não devem ser feitos.

A ambição é necessária, mas a ganância tem que ser colocada fora do circuito.
E quando você junta ambição e pressa?

Não é algo que traz bons resultados. Uma das coisas boas da vida não é ter pressa, é ser veloz. Se você faz um trabalho apressadamente, você vai ter que fazer de novo. Quando eu vou consultar médico, eu quero velocidade para chegar à consulta, mas eu não quero pressa na consulta. Velocidade resulta de perícia, habilidade, de ser alguém que tem competência no que faz. A pressa resulta da imperícia. Por isso, o desenvolvimento da perícia, habilidade, competência permite que se faça algo velozmente. E se sou veloz, aquilo que resulta da minha ambição pode se transformar no meu êxito. Se sou apenas um apressado, vou ter que lançar mão de trilhas escusas para chegar ao mesmo objetivo – e o nome disso é Lava Jato.

O senhor aponta no livro que o maior descontentamento atual dos funcionários nas empresas não é salarial, mas a falta de reconhecimento. Por que a questão ganhou força nos últimos anos?

Hoje há um anonimato muito forte na produção. Como a gente tem uma estrutura de trabalho em equipe muito grande, o trabalho em equipe quase leva à anulação do reconhecimento do indivíduo. E isso significa que um trabalho em equipe não prescinde da atuação de cada pessoa. É necessário que não se gere anonimato. Eu insisto: reconhecimento não é só pecuniário, financeiro, é autoral. É necessário que a empresa exalte, mostre quem colaborou com aquilo. À medida que você tem reconhecimento, comemoração, celebração, isso dá energia vital para continuar fazendo. Não se entende aquilo como sendo apenas uma tarefa. O reconhecimento ultrapassa a ideia de tarefa. Não sei se seu pai fazia isso, mas chegava em casa com o boletim da escola, altas notas, e ele dizia: “não fez mais que a obrigação” – isto é altamente desestimulador. É preciso reconhecer, dizer que é bacana, comemorar. Aquilo que estimula a continuar naquela rota. Reconhecimento é a principal forma de estímulo que alguém pode ter.

No livro, o senhor também cita a obsessão por “uma tal ideia de felicidade” que acaba levando as pessoas a viverem muito mais a expectativa do que a realização. Por que isto ocorre?

A felicidade não é o lugar onde você chega. A felicidade é uma circunstância que você vivencia no seu dia a dia. Não tem “a felicidade”. Você tem circunstâncias de felicidade, ocasiões, que quando vêm à tona não devem ser deixadas de lado. Ninguém é feliz o tempo todo – isso seria uma forma de idiotia – à medida que a vida tem suas turbulências.
Mas quando ela vier, admita a felicidade. Colocar a felicidade só num ponto futuro, inatingível, isso é muito mais resultante de uma dificuldade de lidar com a questão do que concretamente uma busca efetiva. Por isso, sim, a felicidade é uma desejo porque o mundo tecnológico nos colocou em contato com tantas coisas, mas nos deu uma certa marca de solitariedade, de ficar solitário com relação àquilo que se tem, a uma ausência de contato muito forte.

Tudo é muito virtual e isso acaba gerando desconforto interno, angústia nas pessoas. E a felicidade é um nome que as pessoas dão para superar essa angústia. O que é felicidade para o sr?

É a que eu tenho na minha vivência. Quando percebo uma obra feita, uma aula bem dada, um abraço sincero, afeto verdadeiro, conquista merecedora. São meus momentos de felicidade. Não são um lugar onde desejo chegar.

Publicado em 05/07/18

Espaço que traz o melhor do artesanato ficará de 3 de maio a 3 de junho no Shopping Uberaba


O Shopping Uberaba vai sediar a Loja Brasil Original para destacar a cultura mineira, que é uma das mais ricas do país e expor toda a diversidade do artesanato. Os clientes e visitantes poderão apreciar peças de 30 artesãos de Uberaba e região que estarão expostas para comercialização para decoração, utilidades e acessórios de moda. É a primeira loja Brasil Original fora de uma capital brasileira, com inauguração marcada para esta quinta-feira, 3, às 18h30. 
O espaço é uma realização do Sebrae Minas em parceria com a Casa do Artesão de Uberaba como forma de divulgar e comercializar o artesanato regional, além de impulsionar os negócios neste segmento. A loja será administrada de forma colaborativa, em que os artesãos serão responsáveis pela venda das peças que são das mais diversas matérias-primas.
A loja reúne produtos da arte popular do estado, entre objetos de decoração, utilitários e acessórios de artesãos mineiros. Estarão em destaque, moda têxtil, peças decorativas, produtos em madeira, bonecos em tecido, acessórios femininos, artigos religiosos, peças com material reciclado, e cerâmica.
Será de 3 de maio a 3 de junho, com expediente de segunda a sábado, das 10h às 22h, aos domingos das 14h às 20h e aos feriados das 13h às 20h na loja ao lado do Espaço Cliente Unique com entrada gratuita. A realização é do Sebrae Minas.

A escolha do período de funcionamento da loja também foi estratégica, uma vez que compreende a realização da ExpoZebu e o Dia das Mães. Duas datas importantes para o comércio e que atraem não apenas consumidores locais, como também de outras cidades. Segundo a analista do Sebrae Minas, Andrea Marques Lima, levar um showroom com o artesanato regional para o ambiente de grande circulação como o Shopping Uberaba é uma forma de promover o conhecimento deste trabalho pela comunidade. “A loja conceito temporária permite aos artesãos valorizar a originalidade das peças que ganham em valor agregado, qualidade e identidade”, destaca a analista.



Saiba mais:
O projeto Brasil Original teve início em 2012 como uma das ações do Sebrae Nacional para estimular as vendas do artesanato nas 12 capitais sedes durante a realização da Copa do Mundo. O resultado foi tão satisfatório que o projeto teve continuidade, sendo uma oportunidade de turistas e moradores comprarem com facilidade o artesanato mineiro. Em Belo Horizonte a primeira loja funcionou em 2013, no Boulevard Shopping. E espaço em Uberaba será a primeira loja fora da capital, uma forma de interiorizar a marca Brasil Original. A escolha se deve ao potencial da cidade revelado em ações como o IV Encontro Mineiro de Negócios em Artesanato, em 2008, que foi até hoje o melhor resultado de rodadas, incluindo as de Belo Horizonte.

 



 
SERVIÇO
Loja Brasil Original – Shopping Uberaba
Abertura: 3 de maio, às 18h30
Período de funcionamento: 3 de maio a 3 de junho
Horário: Segunda a sábado, das 10h às 22h, aos domingos, das 14h às 20h, aos feriados, das 13h às 20h

Publicado em 02/05/18

“Mês passado participei de um evento sobre o Dia da Mulher.
Era um bate-papo com uma platéia composta de umas 250 mulheres de todas as raças, credos e idades.
E por falar em idade, lá pelas tantas, fui questionada sobre a minha e, como não me envergonho dela, respondi.
Foi um momento inesquecível…
A platéia inteira fez um ‘oooohh’ de descrédito.
Aí fiquei pensando: ‘pô, estou neste auditório há quase uma hora exibindo minha inteligência, e a única coisa que provocou uma reação calorosa da mulherada foi o fato de eu não aparentar a idade que tenho? Onde é que nós estamos?’

Onde não sei, mas estamos correndo atrás de algo caquético chamado ‘juventude eterna’. Estão todos em busca da reversão do tempo.
Acho ótimo, porque decrepitude também não é meu sonho de consumo, mas cirurgias estéticas não dão conta desse assunto sozinhas.
Há um outro truque que faz com que continuemos a ser chamadas de senhoritas mesmo em idade avançada.

A fonte da juventude chama-se “mudança”.

De fato, quem é escravo da repetição está condenado a virar cadáver antes da hora.
A única maneira de ser idoso sem envelhecer é não se opor a novos comportamentos, é ter disposição para guinadas.
Eu pretendo morrer jovem aos 120 anos.
Mudança, o que vem a ser tal coisa?
Minha mãe recentemente mudou do apartamento enorme em que morou a vida toda para um bem menorzinho.
Teve que vender e doar mais da metade dos móveis e tranqueiras, que havia guardado e, mesmo tendo feito isso com certa dor, ao conquistar uma vida mais compacta e simplificada, rejuvenesceu.
Uma amiga casada há 38 anos cansou das galinhagens do marido e o mandou passear, sem temer ficar sozinha aos 65 anos.
Rejuvenesceu.

Uma outra cansou da pauleira urbana e trocou um baita emprego por um não tão bom, só que em Florianópolis, onde ela vai à praia sempre que tem sol.
Rejuvenesceu.

Toda mudança cobra um alto preço emocional.
Antes de se tomar uma decisão difícil, e durante a tomada, chora-se muito, os questionamentos são inúmeros, a vida se desestabiliza.
Mas então chega o depois, a coisa feita, e aí a recompensa fica escancarada na face.

Mudanças fazem milagres por nossos olhos, e é no olhar que se percebe a tal juventude eterna.
Um olhar opaco pode ser puxado e repuxado por um cirurgião a ponto de as rugas sumirem, só que continuará opaco porque não existe plástica que resgate seu brilho.
Quem dá brilho ao olhar é a vida que a gente optou por levar.

Olhe-se no espelho…”

Lya Luft (foto/divulgação)

Leia mais: http://longevidade-silvia.blogspot.com/2010/02/idade-e-mudanca-por-lya-luft.html#ixzz5CxcdjrP2

Publicado em 17/04/18

Publicado em 16/04/18
SOBRE MIM

Sou Virginia Abdalla, jornalista há mais de trinta anos. Ao longo desse tempo, assinei coluna social autoral, nos diários Jornal da Manhã e Jornal de Uberaba, trabalhando com conteúdo ético e abrangente. Espaço aberto para reportagens sociais e voltado também para comportamento, lifestyle, moda, cultura, gastronomia, ciências e tendências. Editei cadernos especiais de jornais e revistas, comandei programa de entrevistas em TV local e integro o quadro de colaboradores da publicação JM Magazine,  sempre procurando destacar pessoas pelo seu talento e fatos pela sua importância transformadora.
 Este é o foco do meu trabalho jornalístico, em prospecção para este Blog, on line desde 2012 - um novo e necessário caminho para fincar os pés no presente e tecnológico universo.
Sou graduada em Pedagogia pela Faculdade de Ciências e Letras Santo Thomaz de Aquino - com especializações no setor - e pós-graduada em Educação Latu Sensu pela Universidade de São Carlos. Empresária, mãe, avó, filha e mulher que eventualmente se permite expressar através de produções de arte sustentável.

Tamareiras
Spaço A
Arquivo
  • expand2019 (59)
  • expand2018 (129)
  • expand2013 (63)
  • expand2012 (492)

© 2019 Virginia Abdalla Blog . Todos os Direitos Reservados.
Powered by WordPress