Colaboração Alexandre Cury

 

Naianne e Paulo Fernando

Casaram-se no último sábado, em cerimônia super íntima, Naianne Detoni e Paulo Fernando Maciel. Celebração religiosa muito emocionante, feita pelo Pe. Manoel Messias, no Santuário da Medalha Milagrosa, apenas nas presenças dos pais e irmãos dos noivos, sem o tradicional cortejo de padrinhos. Mesmo assim, os presentes e os noivos vestiram-se comme il faut, com produções que mereceriam um grande e concorrida solenidade. Parabéns a eles, que souberam valorizar, como poucos, o sacramento do matrimônio.

Altar

No altar, ao lado de Naianne e Paulo Fernando, seus pais Andréa Vieira Alvarenga e José Roberto Detoni, Nilda Mateus Maciel e João Laerte Maciel e os irmãos de ambos, Luis Renato Mateus Maciel, Carlos Eduardo Mateus Maciel e Pedro Henrique Alvarenga Detoni. Foram damas de honra e pagem as crianças Maria, Maitê, Maria Eduarda e Lucca. Recepção com decoração de luxo no restaurante Mangiare, assinada pelo inimitável Alexandre Assumpção.

FOTOS: ALEX PACHECO

Naianne Alvarenga Detoni e Paulo Fernando Maciel, noivos de sábado passado

O brinde Naianne e Paulo com seus pais e irmãos

 

 

Tim-tim

Super querida pelas amigas, Cleide Sampaio ganhou festa surpresa de niver da sua turminha do carteado na semana passada, na bela residência de Mônica Paiva Martins. Só alegria e confraternização entre elas: a anfitriã mais Joana Malta, Bibi Gomes, Maria Zilda Cançado, Telma Sabino e a aniversariante, surpresa e feliz com tantos mimos, tantos brindes e tantas gostosuras à mesa de Mônica, gourmant de primeira grandeza – surpreendendo sempre.

Aniversariante Cleide Sampaio recebe carinho de sua grande amiga Joana Malta

Toda a turminha reunida na tarde festiva

Anfitriã Mônica Paiva Martins e Cleide

 

“Leiam Lélia Gonzalez!”

Esta foi a convocação da filósofa americana Angela Davis em recente passagem pelo país. Este mês a filósofa, antropóloga, professora, escritora, militante do movimento negro e feminista faria 86 anos. Por um feminismo afro-latino-americano reúne em um só volume um panorama amplo da obra desta pensadora tão múltipla quanto engajada. São textos produzidos durante um período efervescente que compreende quase duas décadas de história – de 1979 a 1994 – e que marca os anseios democráticos do Brasil. Boa leitura até mesmo para os que consideram o tema “realidade distante”.

Para ficar por dentro da trajetória…

 

 

IMAGENS QUE SÃO NOTÍCIAS

Sempre chique e descolada, empresária Tânia Bulhões festejou niver dia 2 – sob as bênçãos de Iemanjá – em Trancoso, ao lado dos filhos Virgilio e Daniela. Na foto, com sua nora Mônica Mendes, Verinha Arantes, Mônica Hial, Daniela Bulhões, e Josephina Abreu. Lindas! Maravilhosas!

Noite preciosa de prosa, poesia e memórias em Ouro Preto. Adriano Luis Furini, que teve o privilégio de ouvir o prefeito Angelo Osvaldo, escritor e o jornalista com Jorge Alberto Nabut, escritor e historiador

Amigos da vida toda Luciana e Márcio Loureiro Borges brindaram com vinho de safra especial seus 40 anos de casados domingo último, na maravilhosa fazenda da família. Apenas com os filhos e netos

Ao lado da irmã Marta Montes, Cassiano Santos Anjo, festejou niver na segunda-feira. Grande abraço

A homenagem mais que especial da coluna de hoje é para as Bodas de Prata dos queridíssimos Beatriz da Cunha Tahan Oliveira e Boanerges Campos de Oliveira Júnior, completadas na última semana. Sem festa, apenas um brinde com a filha, a advogada Júlia Tahan Oliveira. Tim-tim!

As amigas Vanessa Kimye e Laysa Zago aproveitando a Arena Beach Tennis no Shopping Center Uberaba!

Gabriel Januário já tem endereço fixo em São Paulo, onde iniciou seus estudos na Link School of Business

ELA DISSE “SIM”! Casal Aline Motoki e Flávio Almeida Afonso, ficaram noivos em Arraial D’ajuda. Felicidades ao casal

 

 

Entrevista da semana

 

“Nada será como antes.” Até que ponto isto reflete a realidade?

 

Confira o que nossos entrevistados responderam:

 

“No que tange à nossa realidade humana em sociedade e do nosso modus vivendi, observando a nossa linha do tempo em relação a escala evolucional; nos deparamos com um grande paradoxo que é podermos estar num “porto seguro” onde o Éden nos abastecerá de tudo. Porém, essa não é a nossa realidade. Desde a nossa concepção no ventre materno, temos que evoluir em todos os aspectos para buscarmos sempre ideais mais elevados e também necessários ao nosso bem-viver. A nossa escala de crescimento é extremamente acelerada e na maioria das vezes não a compreendemos ou entendemos. Um fato curioso foi o aparecimento da Covid-19 no ano de 2020. Algo tão minúsculo e que colocou em risco a vida humana na terra e da forma como vivemos e nos relacionamos em sociedade; nós nos ajustamos buscando novas formas do fazer: estudo, trabalho, lazer e vida em família. Nesse pensar, fomos educados a constituir família. Mas, não fomos educados a viver em família. E, num determinado momento, fomos obrigados a estar juntos numa só convivência e conflitos apareceram. Fato esse que se tornou estranho aos olhos de muitos: Quem é esse ao meu lado? Quem são esses pirralhos? Aqui é a minha casa? Eu moro aqui? Tenho que trabalhar junto com todos no mesmo espaço? Nessa linha de readaptação, a exemplo de épocas passadas, e também com a rapidez que a tecnologia nos impõe, achamos respostas e soluções para tudo: educação, trabalho, lazer, vida em família e até a vacina para tão temida doença. E nós como estamos? Depois desse cozimento tão rápido nessa “panela de pressão”, evoluímos e já não somos mais os mesmos. Tudo mudou e essa realidade que está às nossas portas nos cobrará uma nova posição. Essa realidade chama-se a dinâmica de uma nova ordem mundial da nossa sociedade. Isso é vida que nasce da vida.”

Marsônio José Ferreira – Professor universitário e Consultor empresarial

 

“Reflete totalmente nossa realidade. Grandes tragédias como guerras, revoluções e epidemias, ao longo da história, nos mostram mudanças funcionais do sistema socioeconômico, educacional, na área da saúde, de infraestrutura e humanitária entre os países. No comportamento humano , reflete mudança nas relações com os outros, consigo mesmo e com o mundo. É hora de evoluirmos como seres humanos, sociedade e Estado.
As adversidades entre países que culminaram em tantas guerras não cabem mais nesta nova Era que estamos vivendo. É o momento de ressignificar tudo isso e por consequência, nada será como antes.”

Renata Pinheiro – Arquiteta

 

 

“Nada será como antes”. Até que ponto isso reflete a realidade? Esse trecho da música de Milton Nascimento e Lô Borges, invariavelmente, traz à memória uma dualidade cujo debate acompanha o próprio desenvolvimento da humanidade: tudo é sempre constante e imutável ou a nossa única certeza é a própria inconstância? Falar que nada será como antes é optar pela segunda forma de enxergar o nosso mundo: tudo muda o tempo todo.
Sendo bem sincero, gostaria de ter uma resposta mais definitiva, mas desde a Grécia antiga, os pré-socráticos se debatem sobre isso, sem chegar a um consenso. A tão distante contraposição entre o universo imutável – Parmênides de Eleia – e as águas de um rio que não banham duas vezes a mesma pessoa – Heráclito de Éfeso – chega até o século passado nas músicas de Belchior e Milton e Lô, se digladiando para definir se permanecemos “como nossos pais” ou se “nada será como antes”.
De minha parte, acredito ser melhor espectador do que debatedor. Ganho mais lendo e ouvindo. Porém, se me espremerem, entendo ser mais correto conciliar as duas posições: não estamos em uma linha reta que nunca retorna ao ponto de partida, nem em um círculo que se repete indefinidamente. Gosto da ideia realista-esperançosa – bem suassuniana – de que estamos em uma espiral, com eventos que se repetem, mas em intensidades e formas diferentes.
Enfim, conciliar contraposições e não necessariamente escolher um lado nessa discussão milenar, talvez, seja o mais acertado. Precisamos conviver com dualidades como essa, entendendo que, conforme o tempo, o lugar, a ocasião e as pessoas, de uma forma geral, ainda “vivemos como nossos pais”; mas que o nosso próprio desenvolvimento faz com que, guardadas as devidas proporções, o “nada será como antes” também seja possível.”

Alexanndre Lennon – Advogado e Assessor Parlamentar

 

 

“Desde o final de 2019 o mundo sente os efeitos que um indivíduo microscópico pode fazer, o que em 2020 se intensificou e transformou-se em uma Pandemia. O Coronavírus, virou o mundo contemporâneo de pernas para o ar, e agora, nada mais será como antes! Mas como será o futuro próximo? Bom, no caso do Poder Público, creio que se a tecnologia não for implementada para serviços diversos, haverá uma catástrofe de gestão. Este é momento em que os Governantes tem para aderirem à nova era da informação e inovação. Nossa atual realidade se condiciona ao confinamento e distanciamento, mas ainda dependemos dos serviços públicos. E por que esses serviços, em sua maioria, não são informatizados/automatizados? A internet brasileira iniciou-se em meados da década de 90, a difusão dos computadores pessoais na mesma época e os smartphones desde o final da década de 2000. Não é o momento das prefeituras, governo estadual e federal se atualizarem por completo? O Brasil possui 5570 municípios, desses, após uma pesquisa minuciosa, verificamos que menos de 20% possuem base cartográfica e sistema que possibilite o acesso à informação territorial, de leis urbanísticas e procedimentos administrativos de interesse da população. Diante disso, foi criado o Websistema Urbcidades, que visa resolver este problema. Uma forma de amenizar os impactos da burocracia, da retenção da informação privilegiada e também no combate aos impactos da COVID 19. A resposta está na busca por Governos mais participativos e ativos junto aos Parques Tecnológicos, empresas de base tecnológica, Universidades, Startups e demais atores de ecossistemas de inovação.”

Daniel Rodrigues – Arquiteto e Urbanista e CEO Urbcidades

 

INFORMAÇÃO E OPINIÃO

Vida – Cumprimentos especiais da coluna ao aniversariante de ontem, Gilberto de Andrade Rezende, super cumprimentado por sua família e os incontáveis amigos e admiradores que conquistou ao longo da vida.

Pets – O Street Mall que está sendo construído na rotatória da Santos Dumont (Medalha Milagrosa) terá, além de outras 12 lojas, uma grande âncora paulista do segmento Pet Shop. Setor se expande na mesma proporção do que ocorreu com as drogarias em Uberaba. “Uma em cada esquina”…

E mais – Segundo consta, a principal concorrente do setor, assim que soube da instalação citada acima, veio à cidade e também vai abrir aqui sua franquia, se instalando no imóvel da antiga Texas/Disauto, na esquina das avenidas Santos Dumont e Leopoldino de Oliveira.

Reais РPortanto, Uberaba deve ganhar duas grandes lojas de Pet Shop em tempo recorde. Valor dos alugu̩is: 40 e 45 mil respectivamente. Revitalizando o centro da cidade, o que ̩ muito bom.

Cuidado – Mais uma vez insistimos na não aglomeração nos dias de Carnaval. São muitas as opções de lazer para todos nós.

 

 

Acesse também em: www.jmonline.com.br

Publicado em 10/02/21
SOBRE MIM

Sou Virginia Abdalla, jornalista há mais de trinta anos. Ao longo desse tempo, assinei coluna social autoral, nos diários Jornal da Manhã e Jornal de Uberaba, trabalhando com conteúdo ético e abrangente. Espaço aberto para reportagens sociais e voltado também para comportamento, lifestyle, moda, cultura, gastronomia, ciências e tendências. Editei cadernos especiais de jornais e revistas, comandei programa de entrevistas em TV local e integro o quadro de colaboradores da publicação JM Magazine,  sempre procurando destacar pessoas pelo seu talento e fatos pela sua importância transformadora.
 Este é o foco do meu trabalho jornalístico, em prospecção para este Blog, on line desde 2012 - um novo e necessário caminho para fincar os pés no presente e tecnológico universo.
Sou graduada em Pedagogia pela Faculdade de Ciências e Letras Santo Thomaz de Aquino - com especializações no setor - e pós-graduada em Educação Latu Sensu pela Universidade de São Carlos. Empresária, mãe, avó, filha e mulher que eventualmente se permite expressar através de produções de arte sustentável.

Tamareiras
Espaço A
Arquivo
  • expand2021 (8)
  • expand2020 (58)
  • expand2019 (88)
  • expand2018 (129)
  • expand2013 (63)
  • expand2012 (492)

© 2021 Virginia Abdalla Blog . Todos os Direitos Reservados.
Powered by WordPress